Newsletter
Contatos

Matriz
Rua Raimundo Chaves, 2182 - 5º andar
Candelária, Natal
Rio Grande do Norte, Brasil
CEP: 59064-390
Telefone: +55 (84) 3344-7100
Fax:         +55 (84) 3344-7105

Jucurutu
Travessa Sete de Setembro, 111 A
Centro, Jucurutu
Rio Grande do Norte, Brasil
CEP: 59330-000

Mina do Bonito - Jucurutu
Sítio Bonito, S/N
Zona Rural, Jucurutu
Rio Grande do Norte, Brasil
CEP: 59330-000

Juazeirinho
Rodovia KM 319, 790, S/N
Margem da Ferrovia LTNR
Sítio Belo Horizonte, Juazeirinho
Paraíba, Brasil
CEP: 58660-000
Telefone: +55 (83) 3382-1763

Ipojuca
Avenida Portuária, S/N
Porto de Suape - Ipojuca
Pernambuco, Brasil
CEP: 55590-000
Telefone: +55 (81) 3527-4110

São Paulo
Rua Jerônimo da Veiga, 45 – 16º Andar
Itaim Bibi – São Paulo
São Paulo, Brasil
CEP: 04536-000
Telefone: +55 (11) 3167-2202

Segunda Fase

Pretendemos, a partir de 2012, operar em um novo terminal próprio, de 60.000 m2 em área localizada na Ilha de Cocaia. O terminal será homologado para operar com carga própria e de terceiros e terá um calado operacional de 18,5 m., podendo receber navios do tipo Capesize. A modelagem financeira proposta para a viabilização da construção do terminal contará com aporte de capital público e privado.

Na verticalização da cadeia produtiva do minério de ferro, Suape oferece condições idéias para a instalação de uma usina de pelotização, a partir da oferta de nosso minério de ferro. Grupos siderúrgicos nacionais e estrangeiros vêm insistentemente demonstrando à nós e ao Porto de Suape o interesse em contar com o minério.

Construímos junto com o Porto de Suape (considerado o melhor porto público nacional pela Secretária Especial de Portos) uma história bem sucedida de parceria e crescimento sustentável. Por termos eleito Suape o nosso porto operacional e sermos parte desta história, acreditamos gozar de enorme crédito junto aos órgãos intervenientes, instituições operacionais e as autoridades constituídas.

Transhipping

Define-se como operação de transhipment aquela em que uma determinada carga é transferida diretamente de uma embarcação aquaviária para outra, sem passar por terra. Esta modalidade de operação viabiliza o carregamento de navios de grande porte (tipo Capesize, por exemplo, com capacidade de 200.000 toneladas de carga) em regiões costeiras rasas e sem a necessidade de se construir um terminal portuário.

Para suprir a falta de calado na costa, embarcações de menor porte que demandam pouca profundidade para operar são carregadas (como balsas, por exemplo) e transportam a carga até uma região distante da costa com calado suficiente para atracar navios de grande capacidade. O navio atraca amarrado a bóias que lhe darão estabilidade e nele são amarradas as balsas instaladas com os guindastes que executam a operação de descarga das barcaças e carregamento dos navios.

A costa do Rio Grande do Norte está distante 120 km da nossa planta de produção em Jucurutu. A 12 milhas náuticas da costa encontra-se uma fenda marítima de 25 m de profundidade, suficiente para receber navios do tipo Capesize. Estudos realizados em um período correspondente a cinco anos demonstram que as condições de navegabilidade do mar no local permitem realizar com segurança e eficácia a operação de transhipping. Operações similares a esta são realizadas em diversos locais do mundo e tem se tornado uma tendência para reduzir o custo de investimento em instalação portuária.

Atualmente, nesta mesma região do Rio Grande do Norte é feito uma operação similar, com utilização de barcaças para transporte de sal até o ponto do carregamento do navio. O transhipping distante do porto é ideal para carga do tipo granel, não sendo utilizado em operação de movimentação de contêiner, dada a necessidade de uso de caminhão no transporte da carga.

Recebemos três propostas de operadores portuários que conduzem este tipo de operação em diversos pontos do mundo. O know-how destas empresas vem se juntar ao nosso próprio conhecimento técnico, como operadores portuários qualificados. Desta forma, teremos a garantia da menor distância entre a planta e o navio no mercado. Além da redução do CAPEX, isto significa menor custo logístico e maior eficiência. Um diferencial competitivo difícil de ser batido.

Transporte Marítimo

Nos últimos dois anos houve um aumento astronômico no valor do frete marítimo, a alta no período foi de aproximadamente 500% (US$22,00 em 2006 para US$120,00 em 2008), em razão de alta demanda motivada pelo crescimento do comercio global e aumento na distância de navegação motivado pelo crescimento econômico, principalmente da China e Índia.

Devido a este aumento o frete marítimo, que representava em torno de 30% do valor CIF da venda do minério, atingiu a casa de 60% do CIF e hoje oscila entre 45% e 50%. Com um custo enxuto de produção e da logística terrestre, o poder de negociação de frete, além da expertise e influência da maior trading ligada ao setor de mineração e siderurgia da China, nossa acionista Noble, nos coloca em posição privilegiada no mercado de venda CIF.

Além desta vantagem competitiva, contamos com a possibilidade de garantir uma vantagem absoluta, explorando as cargas de retorno da China para armazenagem e distribuição a partir de nosso terminal em Suape. O know-how da Noble Trading que comercializa bilhões de toneladas de cargas anualmente é de grande utilidade. Com isto, abre-se a possibilidade de termos navios fretados integralmente dedicados às nossas operações, permitindo uma redução de custo do frete e uma melhor relação do frete sobre o valor CIF.