Newsletter
Contatos

Matriz
Rua Raimundo Chaves, 2182 - 5º andar
Candelária, Natal
Rio Grande do Norte, Brasil
CEP: 59064-390
Telefone: +55 (84) 3344-7100
Fax:         +55 (84) 3344-7105

Jucurutu
Travessa Sete de Setembro, 111 A
Centro, Jucurutu
Rio Grande do Norte, Brasil
CEP: 59330-000

Mina do Bonito - Jucurutu
Sítio Bonito, S/N
Zona Rural, Jucurutu
Rio Grande do Norte, Brasil
CEP: 59330-000

Juazeirinho
Rodovia KM 319, 790, S/N
Margem da Ferrovia LTNR
Sítio Belo Horizonte, Juazeirinho
Paraíba, Brasil
CEP: 58660-000
Telefone: +55 (83) 3382-1763

Ipojuca
Avenida Portuária, S/N
Porto de Suape - Ipojuca
Pernambuco, Brasil
CEP: 55590-000
Telefone: +55 (81) 3527-4110

São Paulo
Rua Jerônimo da Veiga, 45 – 16º Andar
Itaim Bibi – São Paulo
São Paulo, Brasil
CEP: 04536-000
Telefone: +55 (11) 3167-2202

Fornecimento e Demanda por Minério de Ferro

O minério de ferro e seus subprodutos são as principais matérias-primas utilizadas na indústria siderúrgica, respondendo por 77% do mercado consumidor de minério de ferro, segundo o Sinferbase. Nos últimos quinze anos, a produção anual de aço bruto cresceu de 728 milhões de toneladas em 1993 para 1.332 milhões de toneladas em 2007, um crescimento médio ponderado anual de 4,4%, segundo o IISI. O principal fator responsável pelo aumento da demanda por produtos de aço tem sido a China que, em menos de três anos, tornou-se o maior mercado de aço do mundo, consumindo mais que os Estados Unidos e a Europa juntos. O gráfico a seguir ilustra a produção mundial de aço bruto (milhões de toneladas), no período de 1993 a 2007:


Fonte: IISI/World Steel Figures 2007


A China é, atualmente, o principal consumidor de minério de ferro no mundo, em decorrência de seu forte e consistente crescimento econômico nos últimos anos. Devido ao tamanho do território chinês e à infra-estrutura subdesenvolvida (tais como ferrovias, usinas de energia, prédios e portos), tal crescimento econômico causou um aumento nos investimentos de ativos fixos líquidos e na atividade de urbanização que, por requerer grande quantidade de aço, impulsionou a demanda mundial por produtos de aço e, conseqüentemente, por minério de ferro.

O gráfico a seguir apresenta a evolução e expectativa de crescimento do mercado de minério de ferro na China e no resto do mundo:


Fonte: TEX Report


A forte demanda apresentada pela China e seus efeitos sobre os preços foi potencializada pelo aumento simultâneo nos custos com frete, elevando os preços do minério de ferro a valores sem precedentes nos últimos anos. Historicamente, o preço do frete é determinado por fatores como custo do combustível, capacidade da frota e o balanço de negociação de mercadorias. Os preços do frete também influenciam os custos da mercadoria bruta, especialmente para produtores do hemisfério sul, como a Austrália e o Brasil.

Apesar do crescimento significativo da produção doméstica de minério de ferro da China, que atingiu 600 milhões de toneladas em 2007, segundo o Sinferbase, a expansão não foi suficiente para atender ao forte crescimento de sua demanda interna, levando à dependência do fornecimento externo, inclusive de minério brasileiro. Além disso, o minério de ferro chinês possui alto custo de produção, devido ao [elevado teor] de corte e pequena escala de suas minas, apresentando teor médio de ferro de 33%, de acordo com a China Iron and Steel Association, abaixo da média mundial de cerca de 45%. O Brasil, apesar de ocupar o quinto lugar entre os países detentores de maiores volumes de minério, ocupa posição de destaque na qualidade do minério extraído, alcançando índices médios de teor de ferro da ordem de 66% (60 a 67% nas hematitas e 50 a 60% nos itabiritos), segundo dados do DNPM. A medida da concentração de ferro contida no mineral é determinante para a fixação do preço por tonelada já que, quanto maior o índice de concentração, maior o aproveitamento de minério de ferro por tonelada mineral extraída.

Dessa forma, a forte demanda chinesa favoreceu o mercado de minério de ferro mundial, elevando os preços internacionais desde 2002, o que, por sua vez, resultou na expansão das capacidades produtivas dos maiores exportadores de minério do mundo, inclusive Austrália, Índia, Brasil, África do Sul e Suécia.

O Brasil é o segundo maior produtor de minério de ferro, com produção, em 2007, de 350 milhões de toneladas, 10,41% acima de 2006, respondendo por 18,42% da produção mundial de minério de ferro. A tabela a seguir apresenta a evolução da produção mundial de minério de ferro no Brasil e no Mundo, em milhões de toneladas:


Fonte: Sinferbase/USGS/DNPM


Em 2007, as exportações de minério de ferro do Brasil somaram 258,5 milhões de toneladas direcionadas 9,3% para a Alemanha; 12,8% para o Japão e 38,8% para a China, segundo o Sinferbase. Os três maiores compradores de minério de ferro responderam por, aproximadamente, 61% do total de minério ferro exportado no ano de 2007.

Em 2008, o mercado global de minério de ferro continua tentando suprir a demanda advinda do aumento da produção de aço da China. Apesar da abundante distribuição geográfica de minério de ferro pelo mundo, recursos de alta qualidade estão concentrados principalmente em grandes depósitos no Brasil, na Austrália, na Índia e na África Ocidental. Portanto, a maior parte dos projetos de expansão a ser implementada nos próximos anos deverá se concentrar nessas regiões. As três maiores produtoras – a Vale, a Rio Tinto e a BHP Billiton – anunciaram investimentos para aumentar suas operações durante os próximos anos, visando a suprir o aumento esperado da demanda por minério de ferro no mundo.

A tabela abaixo ilustra a produção mundial de minério de ferro de 2005 a 2007 (milhões de toneladas):